Aprenda como fazer planejamento financeiro em consultórios odontológicos

7 minutos para ler

Você sabe como fazer um planejamento financeiro eficiente? Muitos profissionais durante a preparação para a carreira sonham em abrir a própria empresa, mas esbarram nas dificuldades de gestão do negócio, principalmente em relação às finanças.

Os consultórios odontológicos não fogem à regra e, muito embora sobrevivam da qualidade do atendimento e da eficiência dos procedimentos, somente o bom controle numérico pode garantir um crescimento sustentável.

Neste post você vai aprender sobre a importância do planejamento financeiro e contar com dicas de como fazer para que seu consultório odontológico permaneça referenciado tecnicamente e eficiente financeiramente!

Qual a importância de um planejamento financeiro eficiente?

Antes de ser um espaço para correções estéticas e ortodônticas, um consultório deve ser gerenciado como empresa considerando as atividades e os processos necessários para gerar lucro e competitividade no mercado.

O planejamento financeiro é fundamental nesse universo, pois constrói a base orçamentária, propiciando o equilíbrio entre as despesas destinadas à manutenção do negócio e a receita produzida pelo volume dos serviços prestados aos clientes.

O objetivo do planejamento deve ser o de organizar todos os processos e centralizar as informações em um só ambiente para que, sempre que necessário, as consultas e análises sobre desembolsos, por exemplo, sejam realizadas com agilidade, precisão e segurança.

Como deve ser feito?

Quanto mais controle gerencial você tiver, maiores as chances de administrar as finanças com êxito. A estimativa de gastos e de ganhos possibilita a visão ampla do negócio para criação de estratégias de captação, retenção e fidelização dos clientes.

Elaborar o planejamento financeiro é um grande desafio para quem está acostumado a contar dentes e não dinheiro, mas um empreendedor de sucesso precisa acompanhar as operações numerárias de perto.

O controle de entrada e saída do dinheiro é apenas uma das atividades na rotina diária do departamento financeiro. Há muitos outros aspectos que devem ser adotados visando encontrar sempre pontos de equilibro e melhorias no controle e na gestão. Conheça alguns destes aspectos!

Não misture pessoal com empresarial

Essa é uma prática perigosa e, por isso, deve ser evitada ao máximo dentro das operações financeiras. As contas pessoais e empresariais têm objetivos totalmente divergentes e misturá-las pode acarretar um descontrole difícil de identificar e corrigir.

As retiradas de sócio (pró labore) ao final do exercício devem bastar para suprir as necessidades pessoais sem afetar o caixa da empresa. A receita gerada tem destino certo para cobrir os gastos corporativos. Incluir contas pessoais afeta o caixa e pode tornar o saldo negativo.

Registre todas as despesas e receitas

Monte um fluxo de caixa para garantir que todos os pagamentos e recebimentos sejam registrados em um local de fácil acesso — o que pode ser uma planilha eletrônica ou um software específico.

O importante é saber exatamente o destino do dinheiro que entra e que sai, pois essas informações são essenciais para a verificação nos extratos na hora de realizar a conciliação bancária.

Tenha um capital de giro

Quando você iniciou o negócio, além do investimento em equipamentos, espaço físico, móveis e folha de pagamento, estimamos que tenha sobrado uma quantia para emergências ou gastos do dia a dia até a entrada das primeiras receitas. Isso é o capital de giro.

Todos os meses, separe o valor equivalente às despesas operacionais e reserve como capital de giro. Você vai sentir uma pressão menor se souber que há dinheiro para cobrir as despesas, dando tempo de investir em novas possibilidades de ganhos.

Não importa se o faturamento estiver acima da média — trabalhe o presente de olho no futuro. Nesse sentido, a melhor forma de chegar lá com segurança e otimismo é saber que há saldo em caixa para cobrir algum tempo de baixa demanda, por exemplo.

Estime o faturamento mensal

Você sabe quanto o seu consultório gasta todos os meses? O planejamento financeiro envolve o passado como exemplo do que não se deve fazer, o presente para efetivamente cuidar dos negócios e o futuro nas projeções de melhorias.

Se você não souber qual é a expectativa de receita do seu consultório odontológico, seus investimentos poderão ser afetados caso queira adquirir alguma nova solução disponível no mercado e a despesa não tiver sido prevista.

Se a conta de previsto e realizado não fechar, ou você recuará na intenção de compra com risco iminente de perda do cliente, ou avançará deixando o saldo negativo. Estimar o faturamento é uma ação preventiva para reduzir as taxas de juros cobradas nas contas bancárias.

Administre o uso de materiais

Controle o uso de material para efetuar as compras de reposição. Faça um levantamento dos atendimentos já agendados e identifique se há material faltante no estoque que precisa ser comprado em tempo hábil.

Tome o cuidado de solicitar orçamentos para análise quanto ao custo-benefício. As compras em grandes volumes costumam ser mais vantajosas e, por isso, devem ser consideradas dentro do planejamento financeiro.

Corte gastos supérfluos

Cuidado com o deslumbramento e o desejo de sair comprando tudo que vê pela frente — desde um objeto de decoração para o consultório, até um equipamento que você não sabe ainda se terá real utilidade nos seus atendimentos.

Concentre a atenção e o dinheiro no que realmente pode tornar o trabalho mais dinâmico e eficiente. Para saber o que é supérfluo, pergunte-se muitas vezes qual a funcionalidade do objeto para um consultório odontológico.

Contrate um software especializado

Já pensou em ter as informações de cadastro, vendas, finanças e marketing concentradas em um mesmo ambiente? Pois é isso que um software especializado oferece quando propõe uma comunicação mais direta com a integração entre os departamentos, desde a venda, passando pelo estoque até chegar ao atendimento do cliente.

Outro aspecto importante é que todas as informações dos clientes estarão disponíveis de forma instantânea e completa na aba destinada ao cadastro. Sempre que precisar checar alguma informação bastará alguns cliques para visualizar.

Se você deseja soluções simples, mas inovadoras e, ao mesmo tempo o controle efetivo das transações, deve considerar implantar um software no seu consultório odontológico.

A modernidade utilizada como facilitadora do dia a dia impulsiona a marca, aumenta a credibilidade e fortalece os vínculos do cliente com o consultório. Ele será beneficiado por um tratamento e processos cada vez mais otimizados.

Por fim, sem um planejamento financeiro bem-feito, um negócio promissor pode se tornar um verdadeiro pesadelo para o gestor em caso de investimentos inadequados ou estimativas de gastos aquém da realidade. O melhor caminho é contar com ferramentas e soluções capazes de dar suporte ao controle.

Se você gostou do conteúdo deste post vai querer aprimorar os conhecimentos sobre a gestão de um consultório de odontologia e tudo que deve ser avaliado constantemente. Desse jeito, você vai dominar de vez o assunto!

Posts relacionados

Deixe uma resposta